Primeiro dia na nova escola

O Rafinha hoje começou a estudar na Escola da Ilha, onde o irmão dele já estuda desde 2008. Ele está indo nesta última última semana antes das férias para fazer uma pré-adaptação, digamos. Porém, ele já está bem adaptado, à vontade na nova escola, com os novos coleguinhas. Ele está feliz por estudar na mesma escola do Victor. Durante a aula, numa brincadeira de sapos e príncipes, adivinha quem foi um dos escolhidos para ser príncipe? :)

Daise: Rafa, como foi teu primeiro dia na Escola da Ilha?
Rafa: Demais!

Anúncios

Homem-Aranha de galocha

1 – Finalmente consegui encontrar as galochas que eu queria para dias de chuva.

2 – Os meninos, como toda criança, quando veem um par de botas ou às vezes até de sapatilhas pelo chão da sala (shame on me), têm o costume de calçá-lo e sair brincando (o pé do Victor finalmente ultrapassou o comprimento do meu, portanto, tirar a galocha dele ontem foi meio trabalhoso).

Então, ontem, dia em que encontrei e comprei as botas, o Rafofura encarnou o Homem-Aranha, calçou minhas galochas e saiu dançando pela sala de casa ao som de Raul Seixas e Marcelo Nova (música Best Seller, do álbum Panela do Diabo).

Ele começou a dançar, parou, olhou pra mim e me pediu: “Filma, Zêizi?”


Vocês me desculpem o enquadramento ruim, mas é que eu não nasci pra isso. Eu mais olhava pra ele dançando (e ria, de tanta fofura) do que para a tela de retorno da câmera.

Diálogos #47

Eu e o Rafofura estamos desenhando. Ele faz uma casa, desenha um telhado e o pinta com vários tons de marrom. Eu lhe digo:

– Que lindo, Rafa, teu telhado é degradê.

Ele vai mostrar o desenho para o Junior, confunde a palavra e diz:

– Olha, pai, o meu desenho. Eu fiz em HD.

“Zêzi, eu aprendi a pintar assim na minha escola [NDI – UFSC].”

Roupa nova

O Rafinha vai escovar os dentes e se senta no meu colo pra fazer isso (eu escovo os dentes dele, na verdade). Lá pelas tantas, ele resolve soltar um pum bem fortinho, sentado na minha perna. Eu dou risada e pego no pé dele, dizendo algo do tipo: “Poxa, Rafa, essa calça é nova, cheirosinha, eu a estou usando pela primeira vez, e tu vens logo dar pum nela, deixá-la fedida antes mesmo de eu sair de casa?” Ele também ri e ficamos por isso mesmo (o pum não era fedido, afinal; só fez barulho – muito).

Mais tarde, quando vou colocar um agasalho no guri, ele me diz: “É novo?”. Então, eu percebo que é mesmo a primeira vez que ele usa aquele agasalho. Brinco com ele e digo que vou soltar um pum naquele agasalho novo. Ele me solta esta:

– Vai ficar igual à tua calça fedida, né, Zêizi?

Mereço isso? O guri solta um pum na minha perna e ainda vem dizer que a MINHA calça É FEDIDA.